“As Peças”

Nas águas protegidas, a paz e o sossego. Lugar onde o quando é mero detalhe. Aqui reina o sempre, o eterno descanso do pescador. Onde o capitão tirou os chinelos depois de longa jornada.

Os golfinhos, também chamados de botos, desfilam seu nado para quem quiser ver. O dorso brilha no sobe e desce das águas. Eles fizeram da ilha da Peças maternidade e criadouro. E não há de faltar para eles o peixe santo de cada dia.

Os moradores sabem da linguagem dos visitantes e da sua surpresa, diante da água morna e da vista esplendorosa. Conhecem o apetite de quem chega e servem a mesa que os deuses invejam. Basta um instante pra querer reunir os pedaços de uma vida que foram se extraviando pelo caminho. E não há melhor lugar no mundo do que esta ilha, para juntar e dar sentido às peças embaralhadas pelo tempo.

Sobre fernandoparracho

Jornalista com mais de 30 anos de experiência, fazendo uma transição para a vida rural. 🌱🏞️ Mas ainda atuando na comunicação, criação de roteiros e textos de vídeos, gravação de reportagens, produção de vídeos institucionais, materiais de divulgação, locução, apresentação de eventos e congressos.
Esse post foi publicado em "Time and a word", Colegas e amigos, Um tempo, um lugar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s