O Tejo e seu além

2015-08-03 15.08.56

Cada rio é um universo de água rasgando a terra, matando a sede de gentes, bichos, sementes e folhas. Se deixando navegar ou não. De cada rio se pode dizer um mundo, contar histórias, lendas de profundezas e superfícies. O Tejo não é um Amazonas, nem um Nilo. O Tejo é único e muitos. O Tejo não admite comparação. Se espalha e domina a paisagem. Ele é um mundo. Determinou a geografia desta terra Portugal e de outras terras e ainda a mantem, guardião de si mesmo, da pátria. Castelhano e lusitano, uniforme em seu azul, caudaloso, doce e sal, ao tragar e invadir o mar. O Tejo é um mar. É seu próprio mar, que tem na beira uma Lisboa. O Tejo é um fado, é o flamenco a bater castanholas, a sapatear. E é silêncio também. Para cruzar o Tejo, é preciso paciência e sabedoria. Porque do lado de lá, há um além, onde um outro mundo começa. O Alentejo.

Anúncios
Esse post foi publicado em "Time and a word", Um tempo, um lugar e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O Tejo e seu além

  1. Lembrei da frase: “Ninguém é igual a vc, e esse é o seu poder.” Dave Grohl
    Assim como o Tejo, mão devemos permitir comparações… devemos fazer uso da paciência e sabedoria… silenciar… navegar… viver!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s