Sol

A ilha e o sol. O brilho vem do céu, onde ele se põe e encerra o dia. O brilho vem de dentro, não há como escurecer quando se é luz e alegria. Não há como apagar o sol. Não há como enxugar o mar, senta e descansa diante dele. Não importa o quanto seja, o quanto passe, o quanto sofra, se só ou rodeado de almas. Palmas para este sol, que invade e tudo abrange, abençoa, fantasia e faz de conta, porque não importa o quanto veja, o quanto ouça, o quanto o pranto se incendeie. Tudo, por maior que seja não chega nem perto do sol. Tudo o mais que viceja é apenas graças ao sol.

Anúncios
Esse post foi publicado em "Time and a word", Um tempo, um lugar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s