o caminho pra casa

é como se a gente não estivesse em casa, vendo de longe tudo o que acontece. décadas passando muito rápido diante dos olhos. o cabelo antes comprido. a barba há dias por fazer. o suor que brotava dos braços e as pernas cansadas de andar. uma mochila e algumas peças que cabiam num canto, sem precisar de guarda-roupa. a janela era o mundo e ele era a nossa casa. sem fronteiras nem atalhos. o caminho era o único que existia. à frente era o caminhar. a chave para abrir era a vontade de ficar. sem aluguel, dívidas, cartão de crédito. até voltar pra casa, então. fincar o pé, criar raízes, mesa farta e uma enorme barriga. alguém tem que mudar, diz a canção.

Anúncios
Esse post foi publicado em "Time and a word", Dasantiga, Trilho sonoro. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s