Dia dois (quando morreu o Science)

Dia 2 de fevereiro de 1997. Um acidente de carro matou Chico Science, o “caranguejo com cérebro”, o representante do mangue beat, um cientista cultural de cepa. Ele oxigenou as artérias da música pop, criou e recriou vários estilos, reproduziu uma batida ao mesmo tempo antiga e intrigante: uma nova batida, um sampler da emoção e da pele coberta de lama. Entre tantas, esta é do mangue:

Da Lama Ao Caos

Chico Science e Nação Zumbi

Posso sair daqui pra me organizar
Posso sair daqui pra desorganizar
Posso sair daqui pra me organizar
Posso sair daqui pra desorganizar
Da lama ao caos
Do caos a lama
Um homem roubado nunca se enganaO sol queimou queimou
A lama do rio
Eu vi um chié
Andando devagar
Vi um aratu
Pra lá e pra cá
Vi um carangueijo
Andando pro sul
Saiu do mangue
Virou gabiru
Ô Josué eu nunca vi
Tamanha desgraça
Quanto mais miséria tem
Mais urubu ameaçaPeguei um balaio fui na feira
Roubar tomate e cenoura
Ia passando uma véia
Pegou a minha cenoura
“Ae minha véia
Deixa a cenoura aqui”
“Com a barriga vazia
Não consigo dormir”E com o bucho mais cheio
Comecei a pensar
Que eu me organizando
Posso desorganizar
Que eu desorganizando
Posso me organizar
Que eu me organizando
Posso desorganizar

Da lama ao caos
Do caos a lama
Um homem roubado nunca se engana

Anúncios
Esse post foi publicado em "Time and a word", Meio ambiente, Trilho sonoro e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s