há sempre um outro ponto de vista

A sugestão e o convite para ouvir o Jack White e sua banda Raconters foi do Lunaé Parracho. Ele sempre descobre coisas que a gente não ouve todo dia, tem a sensibilidade de pesquisar, ouvir e mandar pra gente. Essa canção de amor me remete ao clássico “Don´t let me be misunderstood”, celebrizado na voz de Joe Cocker, de Nina Simone e que tem até uma versão cigana e dançante com o grupo Santa Esmeralda (nossa, a idade grita e me espanta!) e que já postei, eu acho, em algum momento. Isso tudo, de postar músicas, também me remete ao tempo em que eu escrevia crônicas sobre música e bandas, artistas, novos discos num semanário em Santana do Livramento, no interior do Rio Grande do Sul. Eu estava lá com os meus 17 ou 18 e o Rúsbel Nicola, jornalista experiente, contratou o foca sem diploma (!) pra preencher um canto de página no impresso que ele lançou depois de sair d´A Plateia, um tradicional diário da fronteira. Bom, mas isso é papo pra outra vez….rs…. Curtam esse Jack White, que já tem um trabalho incrível com o White Stripes, de rock´n roll visceral… é um guri danado que adora tocar guitarras de plástico ou instrumentos velhos, que encontra no lixo, um cara super talentoso, um virtuoso na guitarra, um baita músico (aqui curiosamente pilotando um teclado)!

Anúncios
Esse post foi publicado em "Time and a word", Trilho sonoro e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s