Último esforço antes de barrar o rio Xingu

Mais de cem indígenas, pescadores e agricultores de comunidades ribeirinhas ocupam desde segunda-feira (8) à noite um dos quatro canteiros de obras da Usina de Belo Monte, no Pará. É a terceira vez este ano que o local é ocupado. Na última manifestação, durante a Rio+20, em junho, a ocupação durou 21 dias.

As obras no canteiro estão paradas. A comunidade reivindica o cumprimento das condições impostas para que a usina pudesse ser construída no meio da Floresta Amazônica: demarcação de terra, escola diferenciada, convênio de saúde são alguns deles. Os indígenas das etnias Xipaia, Kuruaia, Parakanã, Arara do rio Iriri, Juruna, Assurini e Caiapós dizem que a ocupação é pacífica e será mantida até que os acordos firmados nas últimas manifestações sejam cumpridos.

Leia a matéria completa:

conteudo.phtml?tl=1&id=1306121&tit=ndios-ocupam-de-novo-Belo-Monte-e-param-parte-da-obra

Anúncios
Esse post foi publicado em "Time and a word", Meio ambiente, Um tempo, um lugar e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s