Pedras e carros

Uma das coisas que chamam a atenção em cidades do interior da Itália é a idade dos prédios, das casas. Tempo que se conta em séculos. As pedras sustentam a história de gerações, de sobrenomes, de fatos que se deram em frente às grandes e pesadas portas de madeira secular. As casas não são monumentos. São lares, escritórios, repartições. Estão lá até hoje para abrigar a vida de pessoas, das famílias, os negócios, a administração do lugar. E lá, como aqui, as pessoas ainda não dispensam os carros, embora tentem se contentar com os menores, mais econômicos, às vezes (e cada vez mais) elétricos. E como não há estacionamento pra tanto carro, eles deixam na rua, assim, metade sobre a estreita calçada. Pelo menos lá, não há o risco de furto. De você acordar pra ir pro trabalho e o carro ter sido levado na mão leve. Esta ruela aí da foto é em Pistoia, região italiana da Toscana.

Anúncios
Esse post foi publicado em Um tempo, um lugar e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s