nas areias do céu

Naquelas areias nunca mais as nossas caminhadas. Nem os sorrisos, nem os silêncios, desabafos, preocupações compartilhadas. Respiração ofegante, entre palavras entrecortadas por conselhos. Perguntas diretas, respostas nem tanto. Por que fostes embora? Ainda havia tanto a falar, a ouvir, tantas perguntas certeiras com respostas incertas. Me deixastes sozinho, agora, na areia tão imensa da praia. O costão de um lado, onde pescávamos quando eu era criança. As dunas do outro, onde caminhavas loucamente para pensar, para saber formular as perguntas certas. Não estamos mais, nunca mais estaremos ali. Entre tropeços, copos cheios e muita conversa. Teu olhar ‘inda brilha, tua voz persiste. E o que faço eu com esta saudade que me deixaste? O que faço com este vazio no peito? Com o velho tênis que parece querer falar, contando lembranças e pegadas? Agora sozinho, difícil dar o primeiro passo, os passos seguintes sem ti. Eu sei que naquela areia nunca mais, mas é como se te levasse comigo, sempre escolhendo o caminho, de acordo com o que havia para conversar. Nunca mais nossos trajetos, nem os conselhos. O que faço agora sem eles? Onde fica o norte e de onde é este vento que sopra, que tu sempre sabias dizer? Cheguei a imaginar que nunca partirias. Fiquei com algumas coisas, mas não sei o que fazer com o que sobrou do meu coração… Ficou o teu olhar no meu, o meu abraço no teu. E uma vontade incontrolável de te encontrar nas areias do céu, enquanto o sol não se põe de vez pra nós dois.

Anúncios
Esse post foi publicado em "Time and a word", Tempo inteiro, um lugar, Um tempo, Um tempo, um lugar. Bookmark o link permanente.

5 respostas para nas areias do céu

  1. Sonia Marcondes disse:

    Lindo! Lindo! Lindo! Este poema dedico ao meu paizinho.

    Enviado do meu iPhone

  2. ana cristina disse:

    ” saudades doi na alma …… so deixa saudades quem foi amor ….. ”

  3. Solidão é um mau inevitável da alma… não há o que fazer nesses momentos de busca.. alimentar o pensamento com boas recordações sempre é a melhor forma de escapar… abraços do amigo que nunca esquece dos ´´seus conselhos´´, fica com Deus.

  4. Fiquei imaginando as caminhadas e como está seu coração… sem palavras, amigo… apenas afirmo que sou solidária ao seu sentimento… sinta meu abraço!

  5. Renata Ceolato Parracho disse:

    Primo, querido!
    Que bom poder ter este dom que tu tens de expressar nestas lindas palavras tanto sentimento!
    Saudades eternas desse tio amado que tanta falta nos faz!
    Segue firme, primo, sinto que ele ainda está perto de nós… guiando os passos daqueles que ele tanto ama!
    Saudades mil!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s